► A ingratidão

Um bem-haja às pessoas que de algum modo se revoltam contra todo o tipo de ingratidão. Ai dos indiferentes e dos covardes, que em proveito próprio aplaudem e aprovam a ingratidão! Hoje, irei abordar sintéticamente a ingratidão na vertente sentimental,  para que se possa entender melhor esse fenómeno. Óbviamente, as teorias que apresento seguidamente são aplicáveis aos universos masculino e feminino.

  • A ingratidão é uma forma egoísta e subtil de fraqueza intelectual.
  • A ingratidão é a tal manifestação vil do egoísmo, que é necessário extirpar.
  • A ingratidão nulifica o amor, aniquila a nobreza d’alma e destrói qualquer virtude.

O ingrato quer-me parecer que: tem coração mas não sente, tem alma mas não ama. O ingrato não mostra sentir dor, mas, orgulhoso e alheio aos sentimentos, repele de si a ideia de sofrimento. Não se pode dissociar  genéricamente que o ingrato é seguramente uma pessoa infeliz.

Solidão? [O Jota prefere]
sim, com gelo e limão.
Ingratidão?
não, obrigado.

OBS: – Porque me foi solicitado, a imagem do disco de 78 RPM que apresento neste ‘post’ representa o tema de um samba de nome ‘Ingratidão’, numa gravação brilhante, um original de 1941, interpretado por Waldemar Reis e o conjunto “Garoto e seus Garotos”.

… by Jota Ene ©

Anúncios

Sobre © Jota Ene

Excessivamente rigoroso, determinado, meticuloso e perfeccionista. Desde já, quero agradecer a uma pessoa sem a qual este espaço não seria possivel, EU... JOTA ENE ©
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s